segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

And the Oscar goes to...

Apesar de ter assistido apenas três dos nove indicados a melhor filme do Oscar 2012, "O Artista" já é um dos meus favoritos! A produção franco-belga foi indicada em 10 categorias, entre elas "melhor filme", "melhor ator" e "melhor roteiro original".

Logo nas primeiras cenas, me senti assistindo uma releitura do clássico "Cantando na Chuva". O momento é o mesmo, a trama do filme é a mesma: a transição do cinema mudo para o cinema sonoro, em meados do final da década de 1920. O mundo do cinema ganhou voz, mas muitos atores - assim como aconteceu com Chaplin - acreditavam que a força do cinema estava na pantomima. O protagonista continua imerso em seu mundo silencioso, e assim continua também o espectador, que o acompanha nessa trajetória.


A história em si não é nenhuma novidade, o roteiro me pareceu quase uma mistura dos filmes "Cantando na Chuva" + "Nasce uma Estrela". A conhecida história do ator famoso que ajuda uma novata em sua ascensão ao estrelato, e a novata acaba eclipsando completamente a carreira do renomado ator, o qual, depressivo, vai à bancarrota. Eficaz.

A grande sacada desse filme, porém, é a iniciativa de resgatar e reverenciar os grandes astros e filmes do passado.
Além disso, numa época atribulada e excessiva como a que vivemos, é maravilhoso e necessário apresentar ao espectador contemporâneo, acostumado com efeitos especiais mirabolantes, um filme mudo, um roteiro simples, direto e alegre.

Vivemos em um mundo de relações saturadas, sentimos que tudo já foi feito, e sabemos o que esperar do cinema. Por isso, é quase um alívio não ter que ouvir o que já conhecemos de cor. Somos o público ideal para o silêncio, o público que sabe, mesmo sem ouvir, exatamente o que os atores estão falando. O público que clama por um pouco de inovação.



O filme é como um sopro de vida, nos mostra como tudo pode ser mais simples e natural. É uma deliciosa homenagem aos fãs do cinema clássico, e um excelente convite para aqueles que ficarem curiosos para descobrir os encantos da era de ouro de Hollywood!

4 comentários:

Vanessa disse...

Curti muito!!! Não assisti esse filme ainda, mas agora fiquei com vontade!
Parabéns pelo blog, tá mó gostosinho de ler! hahah :)

beijocas!

Edna disse...

Parabéns Cris pelo texto descritivo, gostei muito da maneira como formulou suas interpretações! Vc propiciou uma curiosidade e uma vontade de assistir!! rsrsrss

Ale Auger disse...

Cris, de fato vc tem muito talento para escrever! Parabéns! Que sabedoria na seleção de palavras... Sinto-me seduzida a assistir ao filme mencionado.

Proposta: que tal vcs ficarem com a Ana Luísa para eu poder assistir ao filminho??? rsrs

Beijo gde

|Mi| disse...

Oi Cris!!

Menina, adorei sua resenha. Como já disse no meu post no Facebook, saí da sala de cinema completamente apaixonada por esse filme. É muito bom relembrar que um bom filme não se faz somente com bons diálogos, mas sim com a atuação, com o corpo do autor na obra. Os personagens de O Artista me mostraram muito mais emoção do que muitos dos astros tagarelas que inundam Hollywood.

Enfim, amei o filme e sua resenha. Retornarei mais vezes.

Beijooos!!

Camila.