sábado, 12 de outubro de 2013

Pueri Lux


E agora essa luz laranja
metamorfoseando minha rua

girando, ciranda, criança
esconde teus olhos sob a franja
sorrindo, liberta, esperança
que o mundo te construa

devolve, infância, devolve
o tapete de flores amarelas
que a memória ainda envolve
embrulhado em fragmentos aquarelas

e agora esse alaranjado
queima e sufoca a mente
é estrela cadente
pensamento calejado

2 comentários:

Luan Rocha de Campos disse...

Nietzsche em sua obra "Assim Falou Zaratustra", afirma, em determinado trecho, que o Espírito deve passar por algumas transformações, sendo a última delas o estágio de Criança. Tal etapa, definitiva e extremamente especial, denota o momento de grande elevação da Alma à infinitude do momento presente, do aqui e agora. Ser criança é ser puro, é estar disponível, é perceber nos detalhes as grandezas das mínimas coisas! É deixar-se educar, é ensinar brincando, é aprender amando! Ser criança é ser aquilo que é essencial! É ser essência e sendo essência é ser completo, completo consigo, com o próximo, com o todo! Continue assim querida. Uma criança completa e cheia, cheia, cheia de palavras para dar e vender!

Diego Gatto disse...

O ideal de infância foi cunhado pelo iluminismo, a ideia de que a criança é "pura" e "inocente" é mais uma das ilusões das revoluções burguesas. Inúmeros estudos sobre a crueldade infantil da psicologia clínica à filosofia contemporânea desmentem tal ideal. O fato é que, a criança é um ser em formação, e como tudo aquilo que está sendo formado é passível de transformação. O que dizer dessas crianças que nascem para ensinar mais aos pais do que estes a elas? Mentepsicose platônica? Não sei. Crianças são seres curiosos: capazes do amor e do ódio em seus limites reais. Crianças são filósofas à sua maneira, e como matam o espírito os pais sem paciência. Crianças são capazes de tudo, inclusive de provar o quanto nós adultos somos ridículos em nossa aspereza e falta de tato com a vida. Muito me preocupa também o lixo que entope a mente dessas crianças... essa literatura romanesca de péssima qualidade, esses programas e desenhos cheios de crueldade para com os animais e para com as outras criaturas, a banalização da violência, a falta de cuidado com as crianças transex, o machismo passado de mãe para filha, o tratamento igualitário para desiguais é injustiça. O oposto também é verdadeiro. Estamos sufocando nossas crianaças no banco da escola, matando o gênio criativo, criando robôs comedores de carne e consumidores de todo tipo de lixo que você pode comprar. Um dia quero morar em um mundo onde as crianças possam ser... crianças...impunemente.